Viva la vida!

Após viajar nove horas de João Pessoa a Fortaleza, chegamos na capital cearense depois das 10 da noite. Como estamos fazendo na maioria dos destinos, não havíamos reservado hospedagem, portanto nossa primeira e maior preocupação foi procurar um lugar para ficarmos. O primeiro nome que o GPS nos indicou foi o da pousada com o nome Arco-íris, logo desconfiamos se tratar de um lugar voltado para o público GLBT, entretanto o cansaço era tanto que estávamos dispostos a encarar a situação.

Porém, ao chegarmos logo vimos que nossas impressões eram erradas. O rapaz, um pouco maior que um anão, que atende pelo nome de Rodrigo, nos disse que havia vagas e o melhor, quartos no térreo disponíveis.  Ao entrarmos no nosso quarto, nossa alegria foi ainda maior, pois certamente este é o maior e mais confortável lugar que nos hospedamos até agora.

No dia seguinte já devidamente instalados e descansados fomos passar o dia na famosa Praia do Futuro, onde encontramos a Gabi, amiga do Giuliano, que também estava em Fortaleza para assistir ao jogo Holanda e México. Na verdade, a Gabi esperava assistir ao jogo da seleção espanhola, pois o Luis, seu namorado, é espanhol, então eles compraram as oitavas de final do primeiro classificado do grupo B, crente que este seria o jogo da Fúria, mas como sabemos não foi bem assim.

wpid-cymera_20140629_001001.jpg

 

Após uma tarde agradável na praia com este casal de amigos, eu e Giuliano retornamos para a pousada, mas antes que pudéssemos entrar no nosso quarto, o senhor que estava sentado na área de convivência da pousada nos chamou com sua voz grave e alta: “venha aqui meninos, vamos beber”. Como não tínhamos nada programado para o resto do dia, resolvemos nos juntar ao simpático senhor.

O homem vestia apenas uma bermuda, sem camisa e com uma protuberante barriga. Ele é careca, possui um imponente bigode branco e responde por Vitor, o dono da pousada. Paranaense de Ponta Grossa, casado com Thais também paranaense, com sotaque sulista supercarregado.

Vitor não se sabe a razão simpatizou com a gente e nos serviu leitão assado, cerveja e uísque. Ele falava alto e misturava italiano, espanhol e gauchês. Entre um assunto novo ele brindava dizendo “Viva la vida”.

A conversa estava legal e divertida porém ela foi encerrada repentinamente, pois após tomar algumas cervejas, Vitor, adormeceu escorado na mesa. Certamente muitos personagens passarão pela nossa viagem, mas Vitor já tem o seu lugar de destaque.

Paulo Fabião

Paulo Fabião, 27 anos, é jornalista, sambista, cadeirante, poeta, contista, cronista, compositor, lutador, farofeiro, cafajeste acessível, e traz o amor verdadeiro em três dias! Limão, gelo, fogo e açúcar na medida certa!

One Response
  • Gabi
    jun 29, 2014

    Adorei o post meninos! Muito bom encontrar com vocês por aqui!! :)

    Gabi jun 29, 2014
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *